10 Dicas para conversar sobre drogas e álcool com adolescentes.

Conversar sobre drogas e álcool com adolescentes pode ser um assunto delicado, mas é uma conversa essencial para ajudá-los a tomar decisões informadas e seguras.

Neste artigo, vamos compartilhar orientações práticas para abordar esse tema com seu filho adolescente, promovendo uma compreensão mais ampla sobre os riscos e os impactos do uso de substâncias, bem como fortalecendo os vínculos de confiança e comunicação entre vocês.

Prepare-se para uma leitura informativa, descontraída e cheia de dicas valiosas para abordar esse assunto tão importante com seu adolescente.

Receba Conteúdos Exclusivos e Participe do Grupo no WhatsApp!



1- Conheça os Fatos e Esteja Preparado:

Antes de iniciar a conversa, é importante que você esteja bem informado sobre o assunto. Faça uma pesquisa sobre os diferentes tipos de drogas, seus efeitos, os sinais de uso e os riscos envolvidos. Dessa forma, você estará preparado para transmitir informações precisas e atualizadas ao seu filho adolescente.

Esteja aberto para responder às perguntas dele de maneira clara e objetiva, com a linguagem adequada.

Se quiser conferir esse conteúdo em vídeo e acompanhar mais dicas, visite nosso canal do YouTube. Clique aqui ou na imagem abaixo.

2- Escolha o Momento Adequado:

Timing é tudo! Escolha um momento em que ambos estejam relaxados e possam ter uma conversa tranquila. Evite abordar o assunto em momentos de conflito ou quando o adolescente estiver distraído ou ocupado.

Procure um ambiente privado e livre de interrupções, onde vocês possam conversar com calma e atenção. Faça disso um momento especial, mostrando que você está disponível para ouvi-lo.

3- Seja Aberto e Não Julgador:

Ao iniciar a conversa, deixe claro que você está ali para ouvir e entender, não para julgar ou repreender. Lembre-se de que a intenção é criar um ambiente seguro e acolhedor, onde seu filho se sinta à vontade para compartilhar seus pensamentos, dúvidas e preocupações.

Evite fazer comentários negativos ou críticos, pois isso pode fechar as portas da comunicação. A empatia é fundamental!

4- Utilize uma Linguagem Apropriada:

Adapte a linguagem ao nível de compreensão do seu filho adolescente. Evite termos técnicos complexos e use exemplos práticos para ilustrar os pontos que você está abordando.

Lembre-se de que a intenção é transmitir informações de maneira clara e acessível, facilitando a compreensão e a assimilação por parte do adolescente. Tente ser descontraído e natural na sua abordagem.

5- Promova uma Abordagem Equilibrada:

É importante fornecer informações realistas e equilibradas sobre o uso de substâncias psicoativas. Explique tanto os possíveis riscos e consequências negativas quanto os benefícios de se manter longe do uso de drogas e álcool.

Enfatize os aspectos positivos de uma vida saudável e os objetivos que seu filho pode alcançar sem recorrer a substâncias prejudiciais. Inspire-o a explorar alternativas positivas.

6- Estabeleça Expectativas Claras e Limites:

Durante a conversa, estabeleça expectativas claras em relação ao uso de substâncias. Discuta as regras da família e os limites em relação ao álcool, às drogas e a outras substâncias psicoativas.

Explique as consequências para o não cumprimento dessas regras, enfatizando que elas são para proteger a saúde e o bem-estar do adolescente. Seja firme, mas também flexível para adaptar as regras conforme necessário.

7- Aborde as Pressões Sociais:

Converse com seu filho adolescente sobre as pressões sociais e os desafios que ele pode enfrentar em relação ao uso de drogas e álcool. Ajude-o a reconhecer que ceder à pressão dos amigos não é uma obrigação e que ele tem o direito de tomar suas próprias decisões com base no que é melhor para ele.

Incentive-o a confiar em si mesmo e a valorizar suas escolhas pessoais.

Leia mais sobre como lidar com a pressão social e a influência dos colegas clicando aqui.

8- Promova Habilidades de Tomada de Decisão:

Capacite seu filho adolescente com habilidades de tomada de decisão assertivas e saudáveis. Ensine-o a avaliar os prós e contras de uma situação, a considerar as consequências a longo prazo e a confiar em seus próprios valores e intuições.

Incentive-o a buscar apoio e conselhos quando necessário, seja de você, de outros adultos de confiança ou de profissionais especializados.

9- Mantenha as Linhas de Comunicação Abertas:

A conversa sobre drogas e álcool deve ser contínua e aberta. Encoraje seu filho a compartilhar suas experiências, dúvidas ou preocupações. Esteja presente para ouvi-lo, mesmo quando as conversas se tornarem difíceis.

Demonstre empatia, apoio e interesse genuíno em suas perspectivas. Mostre que você está sempre disponível para conversar e que pode contar com você.

10- Busque Recursos e Apoio Adicionais:

Caso sinta necessidade, busque recursos e apoio adicionais para lidar com o tema das drogas e álcool. Existem programas de prevenção, grupos de apoio para pais e orientação de profissionais especializados.

Lembre-se de que você não está sozinho nessa jornada e que existem recursos disponíveis para ajudá-lo. Não hesite em buscar ajuda quando necessário.

Aqui estão alguns exemplos práticos de como você pode abordar seu filho adolescente sobre o tema das drogas e álcool. Esses exemplos são apenas sugestões para te auxiliar nesse diálogo importante:

Priorizar o tempo a dois:

“Filho, eu estava pensando que poderíamos planejar um momento especial só nosso, como um passeio no parque ou um jantar em um restaurante que você goste. Assim, teríamos a chance de conversar enquanto aproveitamos um momento divertido juntos.”

Comunicação aberta e empática:

“Sabe, filho, eu entendo que a adolescência é uma fase cheia de descobertas e curiosidades. Se você tiver alguma dúvida ou quiser conversar sobre drogas e álcool, saiba que estou aqui para ouvir, sem julgamentos. Podemos ter uma conversa franca e buscar respostas juntos.”

Dividir as responsabilidades:

“Vamos combinar, filho, que você também pode ter responsabilidades em casa, além dos estudos? Assim, poderemos dividir as tarefas e ter mais tempo para compartilhar momentos em família. Isso nos ajudará a nos aproximar e a construir um ambiente saudável para todos nós.”

Cultivar o carinho e a afetividade:

“Sabe, filho, eu sinto muito orgulho de você e do jovem incrível que está se tornando. Quero que saiba o quanto te amo e o quanto valorizo nossos momentos juntos. Um abraço apertado como esse demonstra o quanto me importo com você e a importância que você tem na minha vida.”

Priorizar o autocuidado e o bem-estar individual:

“Filho, é essencial cuidarmos de nós mesmos em todos os aspectos. Além de estudar e fazer atividades que você gosta, lembre-se de dedicar um tempo para relaxar, praticar um esporte ou hobby, ou simplesmente descansar. Isso te ajudará a se sentir bem e a tomar decisões conscientes.”

Promover escolhas saudáveis

Conversas sobre drogas, álcool e substâncias psicoativas são cruciais para orientar seu filho adolescente e promover escolhas saudáveis. Ao adotar uma abordagem aberta, não julgadora e informativa, você estará fornecendo a ele as ferramentas necessárias para tomar decisões conscientes e responsáveis.

Lembre-se de que essas conversas devem ser contínuas e adaptadas às necessidades e ao desenvolvimento do adolescente. Esteja presente, ouça com empatia e ofereça suporte ao longo do caminho. Com o apoio adequado, você pode ajudar seu filho a navegar por esses desafios e a construir uma vida saudável e feliz.

Não se esqueça de que essa é apenas uma etapa da jornada como pai ou mãe, e que você está fazendo o seu melhor para criar um ambiente seguro e amoroso para o crescimento do seu adolescente.

Esperamos que este artigo tenha fornecido insights valiosos.

Se você encontrou este artigo útil, tem alguma sugestão ou gostaria de compartilhar suas experiências, deixe um comentário abaixo. Adoraríamos ouvir sua opinião!

Sobre a autora: Miriam França é uma psicóloga formada com especialização em Orientação Familiar. Com sua experiência e conhecimento, ela dedica-se a auxiliar os pais na promoção do desenvolvimento saudável e feliz de seus filhos. Para mais informações, acesse o site www.caminhofamiliar.com.br.

Este artigo é apenas para fins informativos e não substitui a orientação de um profissional da saúde ou psicologia. Consulte sempre um especialista para obter orientação personalizada.

Deixe um comentário