Terrible Two: O que esperar e como agir nessa fase.

O termo “terrible two” (ou “terríveis dois anos”, em tradução livre) é frequentemente usado para descrever a fase de desenvolvimento de uma criança em torno dos dois anos de idade, caracterizada por comportamentos desafiadores e birras. Embora essa fase possa ser desafiadora, é importante entender que ela é uma parte natural e necessária do crescimento da criança.

Essa fase é marcada pelo aumento da independência da criança, seu desejo de explorar o mundo e a dificuldade em lidar com suas próprias emoções e limitações porque a inteligência emocional não acompanha essa evolução dele como ser humano individual.

Meu nome é Miriam França, sou mãe de uma menina de 5 anos, passei por essa fase e sei o quanto parece que eles estão só querendo testar nossa paciência, também sou psicóloga e atuo na orientação de pais, auxiliando na criação dos filhos e na rotina familiar e esse tema é um dos mais levados pros acompanhamentos.

Receba Conteúdos Exclusivos e Participe do Grupo no WhatsApp!



Principais desafios do terrible two:

Durante essa fase, as crianças frequentemente exibem uma série de comportamentos que podem variar em intensidade e frequência. Alguns dos traços mais comuns observados durante essa fase incluem:

Birras e Choros Intensos:

As crianças nessa idade frequentemente expressam suas frustrações e desejos através de birras e choros intensos. Isso pode ser desafiador para os pais ou cuidadores lidarem, uma vez que a criança ainda não possui habilidades verbais completas para comunicar suas necessidades e nem inteligência emocional pra lidar com as emoções que nessa fase estão mais intensas.

Recusa e Teimosia:

As crianças de dois anos muitas vezes desenvolvem uma forte vontade própria e uma tendência a recusar fazer certas atividades ou a seguir instruções. Isso pode tornar tarefas cotidianas, como vestir-se ou comer, mais difíceis de executar. Pra não perder o controle e a paciência o indicado é sempre que possível envolver a criança nas escolhas oferecendo a elas opções limitadas e plausíveis.

Se quiser conferir esse conteúdo em vídeo e acompanhar mais dicas, visite nosso canal do YouTube. Clique aqui ou na imagem abaixo.

Mudanças de Humor Súbitas:

As emoções das crianças pequenas podem variar rapidamente, o que significa que elas podem passar de felizes para frustradas, zangadas ou tristes em questão de minutos. Isso pode ser desconcertante para os pais e cuidadores. Manter uma rotina e sempre comunicar a criança de alguma mudança pode diminuir essas repentinas mudanças de humor por elas terem a previsibilidade do que vai acontecer e aquilo não afetar suas emoções

Exploração e Curiosidade Constantes:

As crianças de dois anos estão em um estágio de desenvolvimento onde estão constantemente explorando o ambiente ao seu redor. Isso pode resultar em situações em que elas tocam objetos perigosos, como tomadas elétricas ou produtos de limpeza. Então, a atenção nessa fase tem que ser redobrada.

Desenvolvimento da Linguagem:

Nessa idade, as crianças estão começando a desenvolver suas habilidades de linguagem, mas ainda não têm a capacidade de expressar todas as suas necessidades e sentimentos com clareza. Isso pode levar a frustrações, tanto para a criança quanto para os adultos que tentam entender o que ela quer.

Cansaço e Sono Irregular:

A energia e a curiosidade constantes das crianças de dois anos podem afetar seus padrões de sono e levar a momentos de cansaço extremo. O sono irregular pode influenciar seu comportamento durante o dia. Não sendo indicado fazer muitas atividades durante o dia com pouco descanso nessa fase.

Independência x Dependência:

Nessa fase, as crianças estão se esforçando para serem independentes, mas também podem precisar de apoio e conforto constantes. Isso pode criar um conflito interno que se manifesta em seu comportamento. Esteja presente no dia a dia deles pra um suporte solicitado mas não faça tudo por eles, principalmente atividades que eles já são capazes de fazer mesmo que com um pouco de dificuldade.

Desenvolvimento das Habilidades Sociais:

As crianças de dois anos estão começando a interagir mais com outras crianças e adultos. Elas estão aprendendo a compartilhar, a esperar a vez e a lidar com conflitos, o que pode ser desafiador enquanto ainda estão desenvolvendo essas habilidades. Seja empático em relação a sua criança porque ao mesmo tempo que ela quer compartilhar um livrinho com um amigo, se esse amigo pega o livro da mão dela o mundo desaba.

Sensibilidade emocional:

Como cada criança é única algumas passam pelo terrible two não apresentando intensos episódios de birras e choros de estresse mas sim ficando mais sensíveis, necessitando de uma comunicação mais tranquila, de mais colo, mais carinho, mais suporte emocional pra lidar com todos os sentimentos que estão surgindo.

Estratégias Eficazes para Lidar com o Terrible Two:

Lidar com o Terrible Two pode ser desafiador, mas adotar abordagens positivas e eficazes pode fazer uma diferença significativa na maneira como os pais e cuidadores enfrentam essa fase do desenvolvimento infantil. Aqui estão algumas estratégias que podem ajudar a navegar por essa fase com mais compreensão e sucesso:

Comunicação Clara e Consistente:

Estabelecer uma comunicação clara com a criança é fundamental. Use palavras simples para explicar as situações e expectativas. Quando a criança entender o que é esperado dela, isso pode reduzir a frustração e as birras.

Estabeleça Rotinas:

As crianças frequentemente se sentem mais seguras e confiantes quando têm rotinas consistentes. Manter uma rotina diária previsível pode ajudar a diminuir a ansiedade e a resistência a certas atividades, como a hora de dormir ou a hora das refeições.

Clique aqui pra conferir dicas de uma rotina saudável para as crianças.

Reforço Positivo:

Recompensar comportamentos desejados com elogios e reforços positivos pode incentivar a criança a repetir essas ações. Isso ajuda a direcionar a atenção para o que ela está fazendo corretamente, em vez de focar apenas no comportamento desafiador.

Escolhas Limitadas:

Oferecer à criança opções limitadas dentro de limites razoáveis pode ajudar a dar a ela uma sensação de controle e independência. Por exemplo, permitir que ela escolha entre duas opções de roupa para vestir, qual copo ela quer beber água, qual talher ela prefere na hora da refeição entre outras opções que estão dentro das suas alternativas.

Mude o foco:

Quando a criança começa a mostrar comportamentos desafiadores, redirecione sua atenção para outra atividade. Isso pode ajudar a evitar conflitos e distraí-la de situações que podem causar birras. Se ela começa a dar sinais que não quer tal alimento, mude o foco pro prato que ela vai comer, se vai ser o de bichinho ou o todo vermelho, se possível deixe-a escolher entre um suco de uva ou o de maçã e assim ela se sente dona de suas opções

Praticar a Empatia:

Tente entender as emoções da criança e mostre empatia. Validar seus sentimentos pode ajudá-la a se sentir compreendida e apoiada, mesmo quando está enfrentando dificuldades. Ela não sabe o que está sentindo por isso toda essa confusão ajude-a a entender, mostre que você sabe que ela está triste, chateada por não conseguir algo, quando nós nomeamos os episódios eles inconscientemente compreendem que pelo menos nós sabemos o que ela está sentido e isso traz mais confiança e ela pode então se acalmar aos poucos.

Manter a Calma:

Lidar com o Terrible Two pode ser frustrante porque você também tem outras coisas pra lidar e nossas emoções também se elevam, mas manter a calma é essencial. Quando os adultos mantêm a compostura, isso cria um ambiente mais estável e seguro para a criança.

Escolher suas batalhas:

Nem todos os comportamentos precisam ser corrigidos imediatamente. Avalie a situação e decida quando é importante intervir e quando é melhor deixar passar. Algumas questões serão sanadas pela própria criança, se ela se frustra por não conseguir colocar um sapato ela mesmo pode chegar a conclusão de escolher outro mais fácil de calçar, vc não precisa correr a cada explosão dela, de espaço pra que ela elabora uma resolução de problema apoiando e estando sempre de olho na segurança física dela.

Modelagem de Comportamento:

As crianças frequentemente imitam o comportamento dos adultos ao seu redor. Demonstre o comportamento que você deseja ver na criança, agindo de maneira calma, paciente e respeitosa. Exemplifique situações e resoluções de problemas que a criança passa com uma forma mais tranquila de resolver, como por exemplo, escolha uma roupa na frente da criança vendo os prós e contra de cada modelo de acordo com o clima e o ambiente que vocês irão frequentar.

Buscar Ajuda Profissional, se Necessário:

Se os comportamentos desafiadores persistirem ou parecerem excessivamente intensos, procurar a orientação de um profissional de saúde ou psicólogo infantil pode ser benéfico para entender as necessidades específicas da criança ou investigar transtornos precocemente.

Conclusão:

Compreender que as birras, teimosia e recusas são formas naturais de expressão pode ajudar a evitar frustrações excessivas por parte dos pais e cuidadores. Vale lembrar que o terrible two é uma fase transitória e temporária. Conforme as crianças continuam a crescer e desenvolver, muitos dos comportamentos desafiadores tendem a diminuir e dar lugar a novas conquistas e aprendizados.

Durante essa etapa, as crianças estão explorando seu mundo, desenvolvendo sua identidade e aprendendo a lidar com suas emoções e desejos. Ao enfrentar o terrible two com paciência, amor e estratégias eficazes, os pais e cuidadores podem proporcionar um ambiente enriquecedor para o desenvolvimento infantil, permitindo que a criança cresça com confiança, habilidades sociais sólidas e uma base emocional saudável.

Esperamos que este artigo tenha fornecido insights valiosos.

Se você encontrou este artigo útil, tem alguma sugestão ou gostaria de compartilhar suas experiências, deixe um comentário abaixo. Adoraríamos ouvir sua opinião!

Sobre a autora: Miriam França é uma psicóloga formada com especialização em Orientação Familiar. Com sua experiência e conhecimento, ela dedica-se a auxiliar os pais na promoção do desenvolvimento saudável e feliz de seus filhos. Para mais informações, acesse o site www.caminhofamiliar.com.br.

Este artigo é apenas para fins informativos e não substitui a orientação de um profissional da saúde ou psicologia. Consulte sempre um especialista para obter orientação personalizada.

Deixe um comentário